Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Bloga-mos cut # 3.

por bloga-mos, em 07.02.11

A capa prometia pelo menos um belíssimo e colorido plano da bacia do John Waine alapado a fumar cachimbo junto a uma janela de onde brota uma luz coada por um enorme laranjal entesoado, quem sabe depois de foder o toutiço a 456 Índios - os laranjais eram rijos naqueles tempos. Fodi-me; aquilo começa logo a preto e branco e portanto a embalagem ganha o prémio wonderbra. Em alternativa vou ver os Prós e a Tonta que tem a subtileza da Calamity Jane menstruada.

P.S. A cóboiada já começou mal: o General Loureiro dos Santos está de gravata cor de rosa e o Ângelo Correia consegue esconder a dele com as barbelas. O Miguel Portas está com tamanha moca que só sonha com uma jola e acho que não traz gravata por que acabou de falar na geração Deolinda que acabam de ser apropriados pelo folclore Bloquista, paz à sua alma.

Acho que vou seguir isto mais um bocado, gosto de porrada!

O Loureiro dos Santos mantém a gravata e está à espera que a Calamidade faça o passe para prosseguir a jogada.

Ângelo Correia tenta sacar os restos da perdiz au vin das gengivas com notável esforço.

Loureiro aparenta estar em jogo mas só pensa em mancebos tenrinhos.

Ângelo perde-se em dribles escorregando nos seus próprios perdigotos.

Calamidade hesita sobre a cor do cartão a mostrar.

Ângelo escarra para o linóleo.

Calamidade pede 3 minutos para mudar o tampão.

Ângelo diz "hipocrisia" provocando uma inundação de gosma no terreno.

Entram as técnicas de limpeza.

Calamidade diz coisas incompreensíveis terminando com um "muito bem".

Agora fala um indivíduo com a riqueza vocabular do Jorge Jesus que se afirma um cristão "cota"(comic relief).

Ângelo chuta para canto dois gramas de...coisas que tinha na boca.

Portas envia sms ao Ângelo "estou cheio de sede".

A bola sai do campo e há dois gajos que começam a brincar com ela.

Calamidade pede-lhes que partilhem o micro. Vai ser bonito.

Loureiro acha-os giros e envia sms ao ajudante de campo: "espero que estejas a gravar esta merda".

Uma egiplótogóla diz que quer as suas cinzas injectadas na próstata do Mubarak.

Em primeiro plano vê-se um fiozinho vermelho a escorrer pela perna direita da Calamidade.

A egiplótogóla não se cala e deverá ser admoestada por jogo passivo.

O caralho do intervalo nunca mais chega.

Um gajo engasgado só fala em obeliscos o que atrai a atenção do Loureiro.

Calamidade pôe na mesma frase "canal do Suez" e "se me permitem opinar" e eu, enfim...

Chega ao fim a primeira parte do desencontro. Vou mijar.

Concluo ainda durante a mija que a programação da retêpê acontece durante os intervalos dos anúncios do Pingo Doce.

 

Calamidade diz que "as massas amadureceram".

Loureiro está em ligação mediúnica com a prole Mubarak e diz-se "conéquectado" com a ajuda das redes sociais.

Ângelo entra em jogo com um dreno ao canto da boca.

Aparentemente, Portas ficou no balneário.

Portas reentra com os cantos das beiças mais secas do que os cofres do Banco de Portugal e diz qualquer coisa como "ghtrksnjaabjfjjjfb árabe".

Há grande violência técnico-táctica no meio-campo.

Portas segura a bola mas está confuso sobre a trajectória a seguir.

Calamidade quer ver o ríúainde.

Ninguém lhe liga.

O engasgado está em manifesta falha cardíaca.

Calamidade consulta o camareman sobre a telegenia do seu Evax XXXL.

Na ânsia de tempo de antena Ângelo oferece por sms um blowjob ao engasgado debaixo da bancada enquanto o Portas estiver a falar em estado delirante.

Portas delira.

Loureiro apresenta uma mancha nojenta na zona da braguilha.

Portas está perto do orgasmo ao discorrer sobre a faixa de Ganza.

Engasgado sobrevive.

Ângelo parece estar com uma lesão grave na zona da traqueia.

Um hippie tardio fanhoso está a falar mas não há linguagem gestual, por isso...

A egiptiológica diz que sim.

Calamidade pisca o olho do cu perante a estupefacção de Loureiro que não compreende subtilezas femininas.

Ângelo fica confuso quando Calamidade o trata por sr. doutor engenheiro e Portas sorri ao ouvir sobre a possibilidade da abertura da faixa de Gaza.

Loureiro está prenhe de comichões.

A língua de Portas parece a tampa de uma lata de sardinhas antiga depois de aberta de tão enroladinha que está.

Alguém diz "uma testa de ponte". Uma testa de quê? Já ouvi falar em testa de cona agora de ponte?!

Calamidade provoca intensos arrepios homosensuais ao Loureiro mas a pergunta fica a pairar na sua geo-estratégia bovina.

Loureiro com grande coiso diz que todos os paìses foram a "reboque" de não sei quê o que se percebe muito bem.

O engasgado está a falar mas só se percebeu "obrama, obrama".

Calamidade apita no apito dando por terminada a javardice desta noite.

 

Da nossa parte as melhoras para as vossas doenças sexualmente transmitídas e obrigado pela preferência.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:58



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

blogamesios@gmail.com

blogamesios@gmail.com


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D